A obscuridade de Alzheimer, a América Latina e duas escritoras inéditas

Uma viagem pela América Latina feita há meio século pela argentina Beatriz Sarlo e o relato da brasileira Heloísa Seixas, sobre a doença de Alzheimer da mãe, são as novidades da Tinta-da-China, que estreia estas duas escritoras em Portugal.

“O Lugar Escuro: Uma História de Senilidade e Loucura”, de Heloísa Seixas, publicado este mês, é um livro de memórias “de uma grande escritora brasileira”, até aqui inédita em Portugal, segunda a editora.

O livro faz o relato da convivência da autora com a doença de Alzheimer da sua mãe, que se instalou num dia exato: “Foi no dia em que minha filha saiu de casa que minha mãe enlouqueceu”, escreve a autora. Esta é a primeira frase do livro.

Era um sábado de manhã e era o dia em que a filha de Heloísa ia sair de casa, e a sua mãe, de 79 anos, que regressara há pouco de uma viagem, arranjou-se a rigor para ir tomar o pequeno-almoço: julgava que ainda estava no hotel.

A partir daqui os sinais foram-se agravando. “Dali em diante cairíamos – minha mãe e todos que estávamos à sua volta – em uma espiral assombrada, feita de vertigem e dor, que giraria cada vez mais rápido, apagando o real”, escreve a autora.

A mesma espiral “marca a intensidade deste relato corajoso e frontal sobre alguém que vai desaparecendo ainda em vida”, descreve a editora.

O escritor brasileiro Ruy Castro, marido de Heloísa Seixas, referiu-se ao livro e a esse período de vida da seguinte forma: “Foi uma trajetória assombrosa, que acompanhei de perto, e que minha mulher, Heloísa, reconstrói nesse livro com uma tremenda força literária e emocional”.

Este livro deixa no ar a pergunta “Para onde vai a identidade de quem amamos quando chega o Alzheimer?” e “resgata da obscuridade um tema tabu”: a doença que tem vindo progressivamente a ensombrar o mundo ocidental, segundo a editora.

“O lugar escuro”, lançado no Brasil em 2007 e adaptado ao teatro em 2013, foi escrito inicialmente como “uma forma de ancorar no papel os fantasmas” que ainda rondavam a autora na época, confessa Heloísa Seixas, para quem este texto era “confessional demais” para ser publicado.

“Porque conviver com a doença de Alzheimer é algo avassalador, e você precisa encontrar um modo de se apaziguar”, acrescenta.

Mas o livro acabou por ser publicado e a autora viu-se de repente no meio de uma “verdadeira tempestade emocional”, com pessoas a interpelarem-na na rua e por telefone para lhe dizerem como o livro as marcara e, sobretudo, para lhe agradecerem ter confessado a sua raiva e não ter feito o papel “de filha boazinha”, conta a escritora na sua página oficial.

Outra novidade da Tinta-da-China para este mês é o mais recente livro da coleção de viagens de Carlos Vaz Marques, “Da Amazónia às Malvinas”, de Beatriz Sarlo, autora argentina até agora inédita em Portugal, que traça uma “grande viagem de juventude” pela América Latina dos anos de 1960 e 70, “pulsando de ímpeto revolucionário”.

“Travessias de barco, caminhadas pelas montanhas e pela selva, o clima e a geografia como protagonistas de aventuras que recriam um continente mítico, ao mesmo tempo que a autora empreende a busca por um ‘santuário latino-americano’”, descreve a editora.

Carlos Vaz Marques admite, no prefácio do livro, que talvez nunca se compreenda a motivação que leva uma rapariga argentina a empreender, enquanto jovem maoista, algumas das “viagens ideológicas” descritas no livro.

“Beatriz Sarlo faz um inteligente e corajoso exercício de autocrítica, reinterpretando vivências”, que a autora descreve como não sendo “simples recordações”, porque lhes pertence “de uma maneira radical”, escreve Carlos Vaz Marques.

“À luz deste outro tempo, é-lhe agora possível constatar que, em viagem como na vida, só encontramos aquilo de que vamos à procura”, acrescenta.

Fonte: SAPO

Anúncios

Sugestão Fim de Semana

Feira Artesanatus na Praça de D. João I

artesanatus

De 1 a 23 de dezembro, a Artesanatus volta a promover o que de melhor se faz ao nível do artesanato tradicional e contemporâneo. Quem passar pela Praça de D. João I poderá encontrar um conjunto de produtos com a garantia de qualidade, originalidade e autenticidade das produções artesanais.

O evento, de entrada livre, é organizado pela Associação de Artesãos da Região Norte, com o apoio da Câmara do Porto (através da PortoLazer).

O Horário será de domingo a quinta-feira: das 10 às 20 horas e sextas-feiras, sábados e vésperas de feriado: das 10 horas à meia-noite.

Poderá obter mais informações através do endereço: http://www.portolazer.pt/noticias-porto-lazer/feira-artesanatus-na-praca-de-d–joao-i

Sugestão de Fim de Semana

FOLIO – Festival Literário Internacional de Óbidos

logo-folio

Decorre a partir do dia 22 de Setembro até o dia 2 de Outubro a segunda edição do Festival de Literatura Folio.

Começou pela manhã em Lisboa e vai num comboio literário até Óbidos, onde as noites acabam mais tarde.

“Sobre o Festival, podemos destacar que vêm o Rushdie e o Naipaul, que o Camané vai cantar Jobim pela primeira vez, que as noites vão estar cheias de escritores, poetas, músicos e artistas, palavras e concertos. Que há Repertórios únicos e utópicos, a falar português e outras línguas com e sem sotaque. Que vai haver mais exposições, e aulas, e cinema, e poesia juntas por metro quadrado que em qualquer outro lugar. Que se vai pensar outra vez a Educação e a Literatura da forma mais ampla participada e abrangente; que uma das mais premiadas ilustradoras de todos os tempos também vai cá estar. Que tem cinco capítulos, Autores, Folia, Educa. Ilustra e Mais. Há tanto que ver.”

Pode saber mais através do endereço: http://vilaliteraria.com/

Sugestão de Fim de Semana

FdLivro_banner_new_01_web

Feira do Livro do Porto 2016

A Feira do Livro do Porto de 2016 arranca no dia 02 de Setembro até ao dia 18 de Setembro nos Jardins do Palácio de Cristal.

Na sexta-feira, são inauguradas as exposições dos “100 Tesouros da Biblioteca Pública do Porto” e do “Reencontro com Vergílio Ferreira” pelo Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, que preside à abertura oficial da Feira.

O programa cultural inclui também sessões de cinema e de ‘spoken-word’, para além de vários debates.

Mais de setenta convidados de áreas absolutamente diversas (da escrita, ao cinema, à musica ou até à gastronomia) participam num programa delineado a partir do tema “ A Ligação”.

A Feira do Livro do Porto abre todos os dias às 12 horas e todas as atividades são de participação gratuita.

Horário:

Domingo – quinta: das 12 às 21 horas

Sexta e sábado: das 12 às 23 horas

Mais Informações em: http://www.cm-porto.pt/feiradolivro

 

Sugestão de Fim de Semana

“Dancem Todos”

Casa-do-Design_Matosinhos_DR_CM-Matosinhos-983x550-31o3j3xczv9ulem439nl6o.jpg

Nos dias 15 e 16 Julho, terá lugar na escadaria da Casa do Design em Matosinhos um festival com performances de dança que já vai na 16ª edição.

Dois espetáculos de dança e movimento, onde mais de 200 alunos de oito escolas de dança do concelho vão poder fazer a apresentação final do ano letivo com coreografias que são já mais do que exercícios de fim de ano, mas antes performances que, desde que o festival começou a ser realizado, em 2006, chamam mais do que a comunidade ligada à dança para a plateia.

Este ano, os alunos da Academia de Dança de Matosinhos, da Academia de Dança do Norte, do Ballet Art, da Criart, da Dance 4U, da Escola de Ballet de Leça da Palmeira, da Eu Danço e da Just Dance School vão poder mostrar-se à população e à comunidade da dança.

Os espetáculos são gratuitos e terão a duração aproximada de duas horas. A primeira performance começa pelas 21h30 de sexta-feira, enquanto a segunda arranca pelas 16h de sábado.

Para mais informações consultar: http://www.porto24.pt/cultura/dancem-junta-escolas-danca-matosinhos/

Sugestão de Fim de Semana

Mercado de Verão 2016

1606_mercadoverao_j2_1553645354575e877629a24.png

No dia 19 de Junho das 10h às 18h irá ter lugar no Pátio da Nogueira no Parque de Serralves o Mercado do Verão 2016.

“Os Mercados Sazonais do Parque de Serralves foram criados com o intuito de estimular junto do público uma relação de proximidade com a comida e a adoção de produtores e lojas locais, numa lógica de fomento de resiliência no Porto, cidade informalmente em transição (Movimento Internacional Cidades em Transição).

Neste Mercado do verão, pode adquirir a produtores locais, saborosos e coloridos produtos hortícolas, frutas e plantas aromáticas da época, mas também cogumelos frescos, pão, queijo artesanal, azeitonas, sal aromatizado, granola, manteigas de frutos secos, trufas de chocolate, deliciosas bolachas artesanais, bolos vegan e doces compotas.

Acesso: gratuito pela Rua de Bartolomeu Velho, 141 (Quinta de Serralves) ou pelo Parque para portadores dos bilhetes Parque e Museu.”

Para mais informações consultar http://www.serralves.pt/pt/.

Sugestão de Fim de Semana

12931054_1066741926718777_1828017806131715438_n.jpg

Neste fim de semana dê um passeio pelos Jardins do Palácio de Cristal onde está a decorrer desde o dia 21 de maio até 19 de junho o Festival de Circo, Trengo.

Poderá encontrar alguns dos mais hábeis e virtuosos representantes, nacionais e internacionais, das artes circenses, serão mais de 15 espetáculos de acesso livre, entre malabarismo, equilibrismo, trapézio, tecido acrobático, corda e manipulação de objetos, sempre nos Jardins do Palácio de Cristal.

O Trengo Festival de Circo é uma coprodução da companhia Erva Daninha e da Câmara Municipal do Porto, através da Porto Lazer. Além dos espetáculos, a iniciativa inclui também conteúdos de formação para o público artístico.

Poderá encontrar mais informação através do site:  http://www.portolazer.pt/noticias-porto-lazer/o-trengo-estara-a-solta-a-partir-deste-domingo-nos-jardins-do-palacio-de-cristal_2

Sugestão de Fim de Semana

12. Imaginarius - Festival Internacional de Teatro de Rua (19-05-2016).jpg

Este fim-de-semana dê um salto até Santa Maria da Feira ao Imaginarius – Festival Internacional de Teatro de Rua nos dias 20 e 21 de Maio de 2016.

A 16ª edição do Imaginarius – Festival Internacional de Teatro de Rua acontece durante 2 dias, no Centro Histórico de Santa Maria da Feira, com a participação de mais de 300 artistas oriundos de 16 países, que apresentarão 42 espetáculos e intervenções artísticas, protagonizados por 47 companhias e projetos artísticos.
O Imaginarius deste ano é um festival atual e sensível, com o seu eixo central de programação em representações da criatividade dos grandes génios da Humanidade. Leonardo Da Vinci, Joan Miró, Ludwig van Beethoven ou Wolfgang Amadeus Mozart são apenas alguns exemplos de criadores que servem de inspiração às representações contemporâneas programadas.

A inspiração e a diferença são o denominador comum do festival.

Poderá obter mais informações e consultar o programa do festival através do site http://www.imaginarius.pt/.

Fonte http://www.imaginarius.pt/index.php?pg=enquadramento

Sugestão de Fim de Semana

Este fim-de- semana…Dance

AringaRossa-5743©ViolaBerlanda-983x550-31cxz1v365sn42ovgxh43k.jpg

O festival Dias da Dança preenche mais de dez espaços em Matosinhos, Gaia e no Porto: Teatro Municipal Rivoli, Teatro Municipal Campo Alegre, Fundação de Serralves, Teatro Nacional São João, Coliseu do Porto, Mala Voadora, no Porto, o Cine-Teatro Constantino Nery, em Matosinhos, e o Auditório Municipal de Gaia e o Armazém 22, em Gaia, além do espaço público nas várias cidades, programação gerida pelo Balleteatro.
Há novas criações de Né Barros, Marlene Monteiro Freitas, André Mendes, Raimund Hoghe, Vera Mantero, Aimar Pérez Galí, entre muitos outros nomes, para ver em estreia nacional ou absoluta.
Há ainda várias masterclasses com coreógrafos, conversas pós espetáculo e festas de abertura e encerramento (encontros e festas na Mala Voadora), além de sessões de cinema temáticas e vários encontros.
O programa completo está disponível em http://www.festivalddd.com.

Fonte http://www.porto24.pt/evento/festival-dias- da-danca/

Sugestão de Fim de Semana

Este fim de semana… um poema para o Dia da Mãe.

fotografia.JPG

No Sorriso Louco das Mães

No sorriso louco das mães batem as leves
gotas de chuva. Nas amadas
caras loucas batem e batem
os dedos amarelos das candeias.
Que balouçam. Que são puras.
Gotas e candeias puras. E as mães
aproximam-se soprando os dedos frios.
Seu corpo move-se
pelo meio dos ossos filiais, pelos tendões
e órgãos mergulhados,
e as calmas mães intrínsecas sentam-se
nas cabeças filiais.
Sentam-se, e estão ali num silêncio demorado e apressado
vendo tudo,
e queimando as imagens, alimentando as imagens
enquanto o amor é cada vez mais forte.
E bate-lhes nas caras, o amor leve.
O amor feroz.
E as mães são cada vez mais belas.
Pensam os filhos que elas levitam.
Flores violentas batem nas suas pálpebras.
Elas respiram ao alto e em baixo. São
silenciosas.
E a sua cara está no meio das gotas particulares
da chuva,
em volta das candeias. No contínuo
escorrer dos filhos.
As mães são as mais altas coisas
que os filhos criam, porque se colocam
na combustão dos filhos, porque
os filhos estão como invasores dentes-de- leão
no terreno das mães.
E as mães são poços de petróleo nas palavras dos filhos,
e atiram-se, através deles, como jactos
para fora da terra.
E os filhos mergulham em escafandros no interior
de muitas águas,
e trazem as mães como polvos embrulhados nas mãos
e na agudeza de toda a sua vida.
E o filho senta-se com a sua mãe à cabeceira da mesa,
e através dele a mãe mexe aqui e ali,
nas chávenas e nos garfos.
E através da mãe o filho pensa
que nenhuma morte é possível e as águas
estão ligadas entre si
por meio da mão dele que toca a cara louca
da mãe que toca a mão pressentida do filho.
E por dentro do amor, até somente ser possível
amar tudo,
e ser possível tudo ser reencontrado por dentro do amor.

Herberto Helder, in Excerto do poema «Fonte», publicado em A Colher na Boca, 1961